Prefeito Alexandre Arraes é indiciado por formação de quadrilha e seis funcionários públicos da prefeitura de Araripina foram afastados. PF pode estar em Ouricuri

JUSTIÇA FEDERAL 2

A Justiça Federal em Pernambuco, afastou, por 180 dias, 6 funcionários públicos da prefeitura de Araripina. A medida visa evitar interferência da coleta de provas da operação “Paradise”, que apura indícios de desvio de recursos do Ministério da Educação (MEC) que deveriam ser destinado a obras na cidade.

14 pessoas foram presas no dia 7 de Maio pela Polícia Federal e Controladoria Geral da União.

Todas elas foram liberadas após prestar depoimento na sede da PF em Salgueiro.

Confira agora os nomes dos afastados:

Os afastados foram, Cybele Arraes (Secretária de Educação), Ricardo Arraes (irmão do Prefeito), Sandra Mara Bihum e Rosa Suleymam, (Assessoras Jurídicas do Gabinete do Prefeito), Ana Maria (ex Secretária de Finanças) e o servidor público César Gondin.

Na manhã desta quarta-feira (03), um oficial de justiça se dirigiu até a sede da prefeitura municipal de Araripina para intimar os indiciados e a procuradoria do município.

Segundo as primeiras informações passadas ao Araripina em Foco, é de quer o primeiro inquérito apresentado pela policia, o prefeito de Araripina Alexandre Arraes, já está indiciado nos Artigos 288 (Formação de Quadrilha), 317 (Prevaricação)- ambos do Código Penal Brasileiro- e Artigo 92 da Lei de Licitações.

A apuração do inquérito e investigação são apenas dos desvios da Creche Otávio Pereira de Melo no distrito de Lagoa do Barro, Mãe Corina Vila Serrânea e Quadra da escola Maria Luzanira Ramos.

Há informes extra-oficiais que agentes federais estariam em Ouricuri de posse de vários nomes para serem intimados para prestarem esclarecimento, dentre eles, pelo menos 5 políticos de mandato.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Araripina em Foco

VISITE O INSTAGRAM
VISITE O INSTAGRAM
VISITE O INSTAGRAM
VISITE O INSTAGRAM
VISITE O SITE
VISITE O SITE