Ex-presidente do Egito é condenado a 20 anos de prisão

O ex-presidente egípcio Mouhamed Mursi, destituído do cargo pelo Exército em 2013, foi condenado nesta terça-feira (21), no Cairo, a 20 anos de prisão pela detenção e tortura de manifestantes durante seu mandato.

Em 2012, Mursi foi absolvido da acusação de incitação à morte de dois manifestantes e de um jornalista durante um protesto em frente ao palácio presidencial.

Outras 12 pessoas, entre elas, dirigentes da Irmandade Muçulmana e membros do governo do ex-presidente, foram condenadas também a 20 anos de prisão. Elas foram acusadas de uso de violência e prisão e tortura de manifestantes em dezembro de 2012. Dois outros acusados foram condenados a dez anos de prisão.

A defesa de Mursi anunciou que vai recorrer da decisão judicial.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Agência Brasil

VISITE O INSTAGRAM
VISITE O INSTAGRAM
VISITE O INSTAGRAM
VISITE O INSTAGRAM
VISITE O SITE
VISITE O SITE