Sessão da Câmara de Ouricuri mais uma vez não acontece, vereador Cleber pede visto de processo das contas do ex prefeito Chico Coelho e pauta continua trancada

DSCN1312

Na noite dessa terça-feira, 13 de setembro, mais uma vez quem foi à Casa Rodrigo Castor em Ouricuri, não ouviu discussão a respeito de indicações, requerimentos ou projetos, pois a pauta continua trancada e enquanto não forem votadas as contas referentes ao exercício de 2007 do ex prefeito Chico Coelho, que estão naquela casa a mais 60 dias, não se pode entrar nada na pauta da câmara.

Semana passada, o presidente Gildejânio, que já havia comunicado a chegada do processo à câmara ao ex gestor, afirmou que não seria votada naquela oportunidade, pois Chico Coelho não havia sido comunicado oficialmente, e durante a semana, foi publicado no Diário Oficial, o o que garantia a votação na noite dessa terça-feira, não ocorrendo, devido o pedido de vista do vereador Cléber Cunha, da bancada de oposição, este alegou existir pontos a serem analisados com mais calma, sendo questionado sobre o tempo em que as contas estão na casa ele afirmou que precisaria rever, confira o que falou o vereador Cléber José Cunha:

Por outro lado, o presidente Gildejânio Melo, afirmou que as contas deverão ser votadas na próxima terça-feira, (21), porém há um receio, que mais uma vez não seja votada, não poderá ser pedido visto por algum parlamentar da casa, porém poderá haver mais uma manobra e com isso deixar de ser votada, a exemplo de pedido do retorno ao Tribunal de Contas, falta de quórum, ou outro fato.
Em conversa com o presidente, após a sessão, ele falou sobre sessas possibilidades e ainda anunciou que na próxima sexta-feira haverá sessão ordinária para a votação do Projeto de Lei número 014/2016 do Poder Executivo que foi enviado à Câmara pedindo uma abertura de crédito suplementar em regime de urgência urgentíssima, no valor de R$ 190.00000 (Cento e noventa mil reais), pedindo ainda a inclusão do Projeto de Lei 012/2016, ambos para pagamento de aração de terras executado pelo município e pagamento de compromissos adquiridos pela gestão.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro