SECRETARIA DE DEFESA SOCIAL DE PERNAMBUCO DIVULGA BALANÇO DA OPERAÇÃO “OLHO DA PROVIDÊNCIA

A SECRETARIA DE DEFESA SOCIAL, em mais uma ação de segurança dentro do programa PACTO PELA VIDA, deflagrou, na quarta-feira, 07 de dezembro, a “Operação de Repressão” Qualificada (ORQ), denominada OPERAÇÃO OLHO DA PROVIDÊNCIA, supervisionada pela Chefia de Polícia Civil e coordenada pela Diretoria Integrada do Interior 2 (DINTER 2), pela Diretoria de Inteligência (DINTEL), e Gerência de Controle Operacional do Interior 2 (GCOI-2) da Polícia Civil. Matéria relacionada, (clique aqui).

A investigação foi conduzida pelo Delegado HENRIQUE JOSÉ FERREIRA DE PAIVA, da 22ª DELEGACIA SECCIONAL DE POLÍCIA CIVIL – FLORESTA e teve suporte e assessoramento da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco – DINTEL, do Laboratório de Lavagem de Dinheiro – LAB/PCPE, contando ainda com o apoio da SEOPI/MJSP, da Polícia Militar de Pernambuco – PMPE, da Agência Brasileira de Inteligência – ABIN, da Polícia Federal do Amazonas e das Polícias Civis dos Estados da Paraíba, Amazonas, Pará, Ceará, Maranhão, Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Sergipe, Bahia, Rio Grande do Norte, Alagoas, Paraná, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Na execução da operação, participaram aproximadamente 100 Policiais Civis, entre Delegados, Agentes e Escrivães de Pernambuco.

MEDIDAS JUDICIAIS AUTORIZADAS:

– Sequestro de bens móveis e imóveis adquiridos a partir do ano de 2020;

– Bloqueio de ativos financeiros – SISBAJUD de 68 investigados;

– 53 (Cinquenta e nove) Mandados de Busca e Apreensão;

– 16 (Dezesseis) Mandados de Prisão Temporária.

HISTÓRICO:

Operação de Repressão Qualificada teve como objetivo apurar as atividades de uma organização criminosa destinada à prática de lavagem de dinheiro proveniente do tráfico de drogas.

A investigação nasceu do cruzamento de outras duas investigações anteriores. Ao longo da investigação, identificou-se fornecedores de drogas da cidade de Floresta e outras cidades que compõe o “polígono da maconha”, os quais são responsáveis por abastecer capitais do nordeste principalmente com maconha. Esses mesmos traficantes, compram cocaína, craque e haxixe de fornecedores localizados em estados de fronteira.

O esquema de lavagem de dinheiro conta com a participação de pessoas físicas e jurídicas interpostas, as quais possuem a função de dissimular e ocultar a origem e o destino do dinheiro e, desaa forma, dar aparência de licitude às transações.

BALANÇO PARCIAL DAS APREENSÕES:

– CHEQUES: R$ 3.353.090,00;

– DINHEIRO (EM ESPÉCIE); R$ 30.000,00;

– BLOQUEIO DE VALORES EM CONTAS BANCÁRIAS: R$ 354.047.556,40;

– BENS DE LUXO: RELÓGIOS DE MARCA E JÓIAS EM OURO.

APREENSÕES DE ARMAS:

– 1 PISTOLA;

– 1 REVOLVER CALIBRE .38;

– 3 CARREGADORES.

Da redação do BLOG RADAR DE NOTÍCIAS – EMANOEL CORDEIRO/ FRANCISCO BRITO/ SDS – PCPE – DINTER II