Presença feminina em constante aumento no Vaticano

Na véspera do Dia Internacional da Mulher,  a Santa Sé divulgou alguns números quanto às funcionárias contratadas em seus escritórios e departamentos – números que vêm crescendo de maneira constante.

Dentro do Estado da Cidade do Vaticano, nos últimos anos dez anos, as mulheres passaram de 195 a 371. O crescimento é significativo também em termos relativos. Em 2004, quase 13% dos funcionários a serviço do Papa como por exemplo na farmácia ou no supermercado, eram mulheres; em 2014, mais de 19%.

Esse aumento verificou-se também nos organismos que compõem a Santa Sé, a administração da Igreja.

Em 2014, trabalhavam entre os funcionários da Cúria e a entidades relacionadas, como por exemplo a Rádio Vaticano, 391 mulheres, mais de 18% do quadro total.

As origens da presença feminina no Vaticano remontam exatamente um século atrás. Em 1° de fevereiro de 1915, começava seu serviço na Floricultura  – responsável pelas decorações papais – a italiana Anna Pezzoli. A partir de 1929, foram contratadas as primeiras mulheres com qualificações acadêmicas, criando um índice dos manuscritos na Biblioteca vaticana. As mulheres começaram a trabalhar no Vaticano sobretudo depois do Concílio Vaticano II, que se concluiu em 1965.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro

VISITE O INSTAGRAM
VISITE O INSTAGRAM
VISITE O INSTAGRAM
VISITE O INSTAGRAM
VISITE O SITE
VISITE O SITE