Compesa e PM combatem furto de água na Adutora do Oeste em Ouricuri, Trindade e Araripina

A Compesa realizou no último sábado, 21 de outubro em parceria com a Polícia Militar, uma operação para combater o furto de água no Ramal V da Adutora do Oeste, no trecho localizado entre a zona rural do município de Trindade, passando por Araripina, até o distrito de Barra de São Pedro, em Ouricuri. Esse ramal é responsável pelo abastecimento de água dos distritos de Nascente, Lagoa do Barro e Gergilim, localizados em Araripina, além da sede do município e da localidade de Lagoa do Barro, em Ouricuri, no Sertão do Araripe.  Até o momento, já foram retiradas dez ligações clandestinas, ação que permitiu recuperar uma vazão de 20 litros de água, por segundo, produção suficiente para atender cerca de 2.100 famílias.

O trecho da Adutora do Oeste, que é alvo da operação, tem 30 quilômetros de extensão e transporta 50 litros por segundo de  água captada diretamente no Rio São Francisco. “O desvio de 20 l/s causava um impacto muito grande no atendimento dessas localidades e na cidade de Araripina. Vamos prosseguir com a ação na tentativa de retirar todas as ligações irregulares que desequilibram o sistema de abastecimento, causando falta de água e queda de pressão nas localidades”, explica o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, João Virgílio.

A ação foi motivada pela queda de vazão acentuada do sistema verificada pelo setor de Controle Operacional da Compesa, e pela quantidade de reclamações dos moradores das localidades atendidas pelo Ramal V da Adutora do Oeste. A Companhia também recebeu denúncias de que carros-pipa estariam abastecendo os veículos, durante a noite, diretamente na adutora. “Recebemos muitas queixas dos moradores e solicitamos imediatamente o apoio da PM, que nos atendeu prontamente”, relata o gerente da Compesa.

Durante a operação nenhum infrator foi preso. “A localização desse trecho da adutora em área rural e de difícil acesso é um dos fatores que têm atrapalhado as ações de flagrante. Mas a PM está empenhada na investigação e identificação dos responsáveis”, observou João Virgílio, informando que o desvio de água da rede pública de abastecimento é um crime previsto em Lei. Os infratores podem ser penalizados criminalmente e pagar multas à Compesa.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Ascom